O Bairro dos Sete Castelos

Antes de haver casas no Bairro dos Sete Castelos, o local era um monte onde se situava uma pedreira. A pedreira desfigurou o monte e criou nele sete morros, que por ilusão pareciam sete castelos, assim o monte passou-se a chamar a Pedreira dos Sete Castelos.
Mais tarde, com a fixação da população, nasceu um casal de habitações no lado do monte mais chegado a S. Domingos de Rana. Neste casal viveu um senhor com deficiências no pescoço, que tinha a alcunha do "Cabeça à Banda" pelo que, o local também era conhecido por "Cabeça à Banda".
Com o decorrer do tempo, na Pedreira dos Sete Castelos e na "Cabeça à Banda", cresceram moradias, e então o local ficou com o seu nome definitivo de Bairro dos Sete Castelos. A urbanização necessária impôs que se estabelecesse um traçado de ruas, de onde a comissão de moradores conseguiu com que o bairro ficasse com sete ruas, cada uma delas com o nome de um castelo de Portugal.


Com o intuito de convivência, anualmente é feita a festa do Bairro dos Sete Castelos. Há quem diga, que esta começou quando alguns populares compraram uma caixa de sardinhas e alguns garrafões de vinho, e fizeram uma pequena festa pela altura do S. António.
Aquela que era uma pequena festa foi um sucesso para o convívio. A comissão de moradores achou uma ideia interessante, e expandiu a dita festa ao bairro todo. Assim pediu a uma moradora que tinha bastantes conhecimentos em folclore, para organizar um pequeno rancho. Este era constituído por muitos miúdos do bairro e foi uma óptima maneira de juntar todos num grupo. Note-se que ela conseguiu em 6 dias (aqueles que faltavam até a realização da festa), pôr o grupo de jovens a dançar.
Assim sendo, o rancho e a festa ficaram desde sempre ligados.

Foto da primeira festa do Bairro dos Sete Castelos e da primeira actuação do Rancho dos Sete Castelos, em 1976.